A Ponto Médico colabora com um grupo de investigadores da Faculdade de Medicina Dentária, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e do Laboratório de Biomecânica do Porto que está a estudar o impacto das cadeiras ergonómicas na postura dos médicos-dentistas durante a sua prática clínica. O objetivo é perceber em que medida estas cadeiras ajudam a evitar lesões músculo-esqueléticas face às cadeiras convencionais.

No abstract do estudo, disponível online, pode ler-se que os profissionais de saúde oral estão mais suscetíveis a problemas músculo-esqueléticos. Por detrás estão os movimentos repetitivos, posturas condicionadas e a elevada carga muscular.

IMG_7563

Vanessa Silva, investigadora responsável por este projeto de investigação, explicou à agência Lusa que a cadeira em sela, criada com o objetivo de “promover uma postura mais correta e saudável da coluna vertebral”, forma um ângulo de 135 graus entre as costas e as coxas, superior aos 90 graus existentes numa cadeira tradicional, um ângulo que permite “uma postura em que a coluna suporta o peso do corpo de uma forma mais confortável”.

Este trabalho de investigação está agora a fazer uma análise biomecânica da postura destes profissionais de saúde, assim como da prevalência de sintomas músculo-esqueléticos, através de questionários.

IMG_7549

Até agora já foram avaliados 33 médicos-dentistas, através de dados recolhidos com recurso a sensores de movimento que permitiram analisar a biomecânica de cada região do corpo durante o movimento realizado.

De acordo com a investigadora responsável pelo estudo, até agora “já se percebeu que o trabalho do médico-dentista é de imensa variabilidade” e dependente da sua formação e educação postural, tendo, cada um, “uma abordagem distinta e característica para a mesma tarefa clínica”.